O que é YOGA?

A palavra yoga deriva da raiz sânscrita "yuj" que significa jungir, atar, reunir, ligar, dirigir e concentrar a atenção sobre, usar e aplicar. Significa também união ou comunhão.

O yoga é um dos seis sistemas ortodoxos da filosofia hindu. Foi coordenado e sistematizado por Pantajali em sua obra clássica, os Yogas Sutras. No pensamento hindu, tudo é permeado pelo Espírito Universal Supremo - Paramatma ou Deus, do qual o espírito humano individual - jivatma é parte. O sistema é chamado yoga porque ensina os meios pelos quais o jivatma pode ser unido, ou ficar em comunhão com Paramatma, garantindo desse modo a libertação.

Há vários tipos de yoga:

  • Bhakti
  • Karma
  • Raja
  • Kundalini
  • Tantra


Para que se tenha uma real visão de yoga e de seus praticantes, é preciso deixar claro que o yoga não é um sistema de malabarismo ou contorcionismo, tal qual vendido pelos estereótipos da mídia. Ao contrário, os praticantes de yoga são pessoas que levam uma vida normal. Assim sendo, não é necessário ser um eremita e abandonar este mundo para se tornar um yogue, mas, antes, devemos viver neste mundo com a qualidade de vida proporcionada pelo yoga.

Há vários tipos de yoga e cada pessoa pode se adequar a um deles. Por isso, antes de ingressar numa escola de yoga, faça uma prática em duas ou três escolas e, então, perceba aquele ramo de yoga com o qual você se identifica melhor e qual o tipo de profissional que você tem como ideal. Ademais, o local de prática do yoga deve ser limpo e arejado.

A boa prática do yoga pode propiciar vários benefícios físicos. Entre estes, destacam-se um viço de pele bonito, vitalidade, disposição, um olhar brilhante, um semblante calmo e sereno, a melhora nos sistemas endócrino, respiratório, cardiovascular, a liberação do estresse e, finalmente, o adeus às dores nas costas. Não apenas no físico, mas também no plano mental é possível verificar vários benefícios: uma maior concentração, o praticante aprende a trazer sua consciência a viver no presente, e não nos estados da mente que vivem o passado ou o futuro, uma vez que estes são tempos inexistentes, dado o fato de que só respiramos no presente. No plano emocional, a prática do yoga libera os medos, as depressões, as ansiedades, a baixa auto-estima, as mágoas e os ressentimentos (o deus-mal deste novo milênio). No tocante ao plano espiritual, há um desenvolvimento da consciência do divino em você e no seu próximo ("Amarás o teu próximo como a ti mesmo - S. Mateus 22:37). Conseqüentemente, desenvolvem-se as virtudes da compaixão, da misericórdia, da tolerância e da paz, qualidades em desuso na humanidade nestes tempos. Ainda referindo-se às questões espirituais, há um aprimoramento do lado devocional de qualquer praticante, independente de seu credo religioso, até porque " a vida religiosa cristã pode assimilar elementos de tradições ascéticas/contemplativas, cujas sementes foram plantadas por Deus em certas culturas antes da pregação do Evangelho". Concílio Vaticano II (1962-1965).

Por fim, gostaríamos de salientar a total segurança dessa prática. Isso porque se trata de um método com crescente aceitação da própria comunidade científica, uma vez que a prática do yoga já é hoje reconhecida e indicada por médicos, psicólogos e psiquiatras como um tratamento complementar da medicina tradicional.